sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Sobre o número de animais por apartamento e não só


Pessoalmente, não tenho nada contra a vontade de o Estado regulamentar o número de animais por apartamento. Todos conhecemos casos em que os limites do razoável são ultrapassados de forma grosseira, com consequências tanto para as pessoas como para os animais envolvidos. Acho é que a coisa deve ser bem feita, porque um T0 não é a mesma coisa que um T8, donos presentes não são a mesma coisa que donos ausentes e para além dos jardins existem coisas chamadas varandas e pátios que podem fazer toda a diferença.

Mas aquilo que me preocupa verdadeiramente é a falta de civismo demonstrada pelos donos dos animais fora de casa: NÃO se admite estarmos no século XXI e ainda se verem ruas cobertas de cocó de cão. E o desplante com que as pessoas viram costas aos presentes dos seus animais?! Fico com vontade de lhes ir à cara, juro!

Se estivesse na câmara, juro que fazia como nesta localidade espanhola, em que se deram ao trabalho de enviar os presentes dos cães para a morada dos respectivos donos. O que eu pagava para ver muito boa gente a receber a encomenda!

3 comentários:

L. das horas disse...

Eu concordo contigo.

VerdezOlhos disse...

Isso SIM é matéria que merece e precisa bem de, para além de regulação, execução das penas previstas para quem é porco a esse nível.

Li um dia, algures e nunca me esqueci:

"O que os cães deixam no passeio é o que os donos têm na cabeça (merda)"

Mary disse...

Essa foi muito boa, VerdezOlhos!