quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Eu, compradora tardia de presentes, me confesso


Esta manhã estava a ouvir as Manhãs da Comercial e uma série de pessoas que para lá ligaram a dizer que já compraram os presentes de Natal há tréculos. Mais: que estavam orgulhosíssimas do facto. E eu até podia dizer que gostava de ser assim, mas não posso. 

Para comecar, preciso de entrar no espírito natalício para me aventurar nesta história das compras. Lamento mas não consigo ser organizada ao ponto de comprar presentes durante o ano inteiro: preciso de entrar no mood, ver decorações de Natal e ouvir o Jingle Bells um pouco por todo o lado para abraçar esta hercúlea tarefa de encontrar o presente perfeito para cada pessoa da minha lista. Depois, confesso que preciso da adrenalina para me mover, a calma dá cabo de mim. E last but not least: e as trocas?! Está bem que não é de bom tom trocar presentes - e até há casos em que temos a certeza absoluta-sintética-analítica de que a pessoa não tem/quer muito aquilo que estamos a pensar oferecer-lhe, mas... e se ela entretanto mudar de ideias? Ou se a peça tiver algum tipo de defeito? É ficar com o presente ou... ficar com o presente? Ou pior ainda, reciclá-lo? 

É oficial, I'm a late Xmas shopper. And am proud of it.

3 comentários:

D. disse...

:) Eu, durante muitos anos, organizava-me também mais cedo. Mas mais cedo era tipo, início - meados de Novembro. Aí, já dava para dizer que era para o Natal e as lojas escreviam no talão de troca o mesmo. Era óptimo para mim, pois evitava esta doideira de "última". Mas hoje em dia, melhor, no dia de hoje, não só ainda não comprem nada, como não vi nada como nem sei bem o que comprar. Como vês.. está bonito. Do 8 ao 80

morango disse...

me too, mas confesso que este espirito consumista que se agrava com os anos tira-me a pica. cada vez mais dou valor a uma amiga que faz um pote de doce para oferecer, ou ir por exemplo ver um espetaculo com alguem.
mas concordo com as compras late xmas. :) espirito é espirito.

Vespinha disse...

As trocas já não são um problema, desde novembro que as lojas às aceitam até fim de dezembro ou mesmo janeiro.