domingo, 2 de novembro de 2014

Perfeição vs. realidade


Quando pensávamos que as mentalidades começavam finalmente a mudar, eis que chega a Victoria's Secret e lança uma mais uma campanha publicitária absolutamente irrealista. A marca defende-se com o facto de o anúncio se referir a uma linha de soutiens chamada "Body" e que tudo não passa de um trocadilho  - mas a verdade é que a mensagem transmitida está longe de ser essa.

Escusado será dizer que o anúncio gerou uma imensa onda de polémica que colocou a marca debaixo de fogo; e que inclusive já existe uma petição online com mais de 18.000 assinaturas que exige que seja feito um pedido de desculpas.

Pela parte que me toca, resta-me dizer que estou com a Dove.


9 comentários:

POC disse...

Respect Dove.
E sempre, sempre as reais.

Sara* disse...

Não creio que a intenção da marca tenha sido dizer que aquelas modelos têm o corpo perfeito. Acho, isso sim, que queriam que as pessoas criassem a ideia (ilusão na verdade) de que a linha de lingerie em questão traria consigo o corpo perfeito. Agora, claro que não é essa a mensagem que passa e concordo que esta campanha está mal feita. Mas...se acha esta campanha ofensiva, também devia achar o mesmo da campanha da Dove! Ora agora as mais gordinhas é que são reais e realmente bonitas!? As magras não o podem ser?
PS. Atenção que não digo isto para a atacar de forma nenhuma. Estou apenas a dar a minha sincera opinião.

Mary disse...

Não podia concordar mais, Sara. Como em tudo na vida, a chave está no meio termo. Neste caso, estaria numa campanha com corpos de todos os tipos, dos mais magros (que os há naturalmente) aos mais gordinhos.

Os 4 mosqueteiros disse...

Sem dúvida que a chave está no meio termo. Na vida há que ter equilíbrio!

Sara* disse...

Concordo inteiramente, Mary! O meio termo seria a solução ideal para quase tudo na vida, mas infelizmente a maior parte das pessoas gosta mais dos extremos.

Claudia disse...

A campanha da Dove foi muito bem pensada de facto. Viva a diversidade e concordo que de tudo um pouco!

Juanna disse...

Aqui há dias uma amiga mostrou-me uma música de uma tal Trainor, estava muito contente porque a música enaltece as gordinhas, que a beleza real é delas e não das skinny bitches. Eu não gostei da música, não preciso de gozar com as magras para me sentir melhor. É isso como dizes, o meio termo.

Carla Isabel disse...

O problema é o impacto que isto pode ter na cabeça das adolescentes...que depois deixam de comer...para ficarem com corpos esqueléticos.

Enfim eu estou com a Dove! Pois claro!

Juanna disse...

Pode dar-lhe para nao comer, pois pode. Mas a percentagem de crianças e adolescentes obesos na Europa ainda é muito superior aos anorécticos. Agora, que mexe com a cabeça deles, mexe. Provavelmente uma data deles come porque sabe que nunca conseguirá ser escanzelado. Há quem morra de fome e há quem se farte de comer. Também não gosto deste assédio à beleza porque bonito é eu-pesar-40-quilos ahahaha. Não. Bonito é ter saúde, mas eu confesso que me esforço muito para ser magra, sei que estes anos todos a ver revistas de palitos mexeu com a minha cabeça.