segunda-feira, 7 de julho de 2014

Da bipolaridade da internet


No outro dia falava-se de como não existe meio termo online. E de como basta olhar para as caixas de comentários das redes sociais para perceber que a massa crítica da internet se divide entre aqueles que bajulam adoram tudo o que lhes põem à frente e aqueles que odeiam visceralmente seja o que for. É o oito e o oitenta: ou as pessoas são "lindas", "gatas" e "o máximo" (mesmo quando as evidências apontam claramente no sentido contrário) ou então é tudo uma cambada de filhos da p**a.

Tendo em conta que até parecemos um povo de brandos costumes, saber que é isto que se passa realmente na cabeça das pessoas com quem nos cruzamos no dia-a-dia, desde que protegidas pela capa (cobarde) do anonimato... é no mínimo assustador.

4 comentários:

éme disse...

este post não é bom nem mau, antes pelo contrário.
considerá-lo razoável seria elogio, ou nem por isso?

Anita disse...

Ainda há dias referia esse aspecto: já chego a ter medo das pessoas que passam ao meu lado na rua... parece que anda tudo ali com a faca escondida, pronto a saltar em cima da pessoa que passar, nem que seja só por levar um lenço que não se goste! Credo...

Maggie F. disse...

e a crise potencia isto tudo!
Crise de tudo, claro!

Bjos

Maggie

Mary disse...

Ah, ah, ah! Muito bom, éme!