quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

"Ó Mãe, por que é que as Mães das princesas já morreram todas?!"


A pergunta apanhou-me de surpresa mas pôs-me rapidamente a pensar. Mãe da Branca de Neve: morta. Mãe da Cinderela: morta. Mãe da Ariel: morta. Mãe da Bela (e o Monstro): morta. E não é só no mundo das princesas (mais antigas) da Disney. Mãe da Heidi: morta. Mãe do Bambi: viveu durante os três primeiros minutos do filme e pimba. Mãe do Marco: fugiu e deu no que deu. Mãe da Hannah Montana: morta. Mãe da Violetta: morta. E isto são só alguns exemplos que me vieram à cabeça, que isto neste tema... é cada tiro, cada melro.

Posto isto, alguém me explica por que raio a ficção para crianças é o reino das madrastas?!

6 comentários:

Na Província disse...

Por acaso, agora que fala :) :)
Eu sou madrasta, mas fixola heehheeh

Dúvidas e Certezas disse...

Realmente, nunca tinha reparado nisso, por que será?

Quanto às madrastas são todas ou quase todas más, isso já tinha notado e acho que é a base de serem tão odiadas :p

Pé de Chinelo disse...

Eu cá acho que o Walt Disney é um recalcado... ou a mãe morreu, ou o pai era um "babaca" e a madrasta dele uma peste...e, como tal, reflecte-se nos desenhos animados todos!

A Página Trinta disse...

Creeeeedo!!! realmente...
Há com cada coisa... e logo a Disney não é?? que contradição!!

A madrasta disse...

O que me ocorre, como mãe, é que nenhuma princesa se meteria em apuros ou viveria as suas aventuras perdida pelos cantos da história se a mamã estivesse presente... Nestas idades tão tenras, a mãe é o pilar de segurança, é o ninho quentinho onde nada de mal pode acontecer. Para se picar em fusos, comer maçãs envenenadas, perder-se na floresta, viver no meio de anões, ou fechada numa torre, etc etc, a mamã tem que sair de cena. É triste, mas é justamente essa ausência de amor e conforto que leva a princesa a procurar a felicidade que sente que lhe falta.
Ah e a madrasta malvada, claro, essa autoridade maléfica, que nem sequer pertencia à família e surge de repente ao lado do pai, e que a jovem princesa nunca aceita... faz parte.

Mary disse...

Tal e qual o que eu acho, A Madrasta! Mas não deixa de ser um bocado... horrível.