segunda-feira, 1 de julho de 2013

Dos fenómenos incompreensíveis


Este fim-de-semana, na praia - mais concretamente no toldo ao lado do nosso - passeava-se uma criança de dois, três anos com um grande chapéu, t-shirt e... sem fato de banho, cuecas, nada. Como sempre, achei aquilo para lá de estranho (nunca compreendi o fenómeno das crianças nuas na praia, por uma série de motivos que nem vale a pena enunciar), até que, no final do dia... lhe puseram uma fato de banho/tanga daqueles à adulto(a), todos enfiados dentro do rabo. E eu fiquei para ali a pensar que há paizinhos que só mesmo à estalada. E depois, lá está: queixam-se.

4 comentários:

Ângela Ferreira de Sousa disse...

Também nunca percebi aqueles pais que não colocam um fato de banho aos filhos na praia? Qual é a dificuldade? Ai!

ML disse...

Só à chapada... aos pais claro! ;)

aiuich disse...

Só para deixar uma opinião contrária: não vejo mal nenhum no facto de os bebés andarem nuzinhos na praia. Ah e tal, os pedófilos... Se calhar, dá-lhes mais gozo olharem para bebés que se vestem de mulhersinhas e homensinhos! Não vale a pena tentarmos perceber mentes doentes. além disso, não quero acreditar que os há aos pontapés nas praias, ou em qualquer outro sítio.

Mas, se me perguntarem, já me faz confusão estas adolescentes que andam na rua meio despidas...!!

aiuich disse...

Não dá para editar... Leia-se "mulherzinhas e homenzinhos".