quarta-feira, 19 de junho de 2013

Das coisas que dão comigo em doida


Quando as pessoas não têm a noção das distâncias e se plantam literalmente em cima de nós em tudo quanto é fila de espera e/ou espaço público. Fenómeno este que atinge o seu expoente máximo na época balnear, nomeadamente na praia.

Necessidade de calor humano, será? Fico DOIDA.

7 comentários:

Jovem Atrapalhada disse...

A mim não me põe doida...
Por-me doente!
Uma vez até disse ao V que ia comprar um casaco com espigões só para não me tocarem...

Já por mim, odeio que me toquem, nem que seja para me chamarem a atenção ou quando dão "palmadinhas nas costas" ou seja o que for, não gosto que me toquem.

Muito menos quando vou a andar na rua ou supermercado e desconhecidos tocam em mim!!
Digo logo: "oH C/%&%!!! o PASSEIO NÃO É GRANDE O SUFICIENTE PAR SI? O PASSEIO É TODO SEU? F/&%/!!"

Tira-me do sério...

Vera disse...

Ainda no outro dia comentava isso com o Homem de casa. Estava eu na fila do hipermercado e a jovem senhora atrás de mim na fila quanto mais eu me afastava mais se aproximava, eu só pensava está com frio... E, quando nestas mesmas filas as pessoas que estão a seguir a nós se colocam literalmente em cima de nós quando estamos a pagar no MB... Really senhores um bocadinho de espaço, já me vou embora, tenham lá calma!

ana disse...

D-O-I-D-A! odeio que me respirem para o pescoço nas filas.

Ângela Ferreira de Sousa disse...

O quanto detesto isso! E quando sentes uma mão a passar no teu rabo? POR AMOR DE DEUS!

lucia disse...

Também DETESTO!!!!!!!!!

Inês M. disse...

Também odeio isso, aqui na Time Out estamos a fazer uma lista de "Amamos e Odiamos" e tínhamos precisamente acabado de falar sobre esse para o "Odiamos"

VerdezOlhos disse...

Caraças! Sou tal e qual. A maior parte das vezes tento dar a entender, voltando-me para trás ou olhando em direção às ditas pessoas como se as fosse devorar mas nem assim se tocam -.-
Fico possessa!