sábado, 26 de janeiro de 2013

A COISA


Estou completamente estupefacta com a história de capa da Lux desta semana. Para quem não está a par, parece que a cantora Adelaide Ferreira não só deixou a filha de quinze anos ir viver para o Brasil (onde vive com um namorado de 21) como, ao saber que ela estava grávida, a incentivou a fazer um aborto com uns comprimidos comprados na internet - e a obrigou a mentir sobre o seu envolvimento no esquema quando a rapariga teve uma hemorragia e foi parar ao hospital, onde foi presa (o aborto é ilegal no Brasil).

Mais do que a gravidez ou o aborto, choca-me a alienação TOTAL demonstrada por esta COISA que diz ser Mãe da rapariga - relativamente à sua formação, à sua educação, ao seu acompanhamento; a quase ausência do Pai, que para além de só ter sabido da existência da filha quando ela tinha seis meses, "uma vez que foi emigrante durante vários anos, (..) mantém uma relação distante com a filha" (devo ser burra, não percebi a ligação entre os factos); e a LATA com que a COISA afirma ter ido ao Brasil "salvar" a filha de uma situação por ela criada - ou, pelo menos, incentivada.

A ser verdade (que isto nunca se sabe), a COISA merecia ver o sol aos quadradinhos para o resto da vida. Sendo que, mais do que o risco quase certo de ela sair impune desta história, irrita-me o facto de tantas mulheres quererem ter filhos e não poderem - e de COISAS como esta, sim.

6 comentários:

Chuva de Prata disse...

Meu Deus... há coisas que não se percebem! Esta gente...

Floripes Antunes disse...

Uma CRIANÇA de 15 anos vive com o namorado com o consentimento da "mãe"?
Perdão, uma CRIANÇA de 15 anos vive num país estrangeiro, com o namorado maior de idade com o consentimento da "mãe"?
Como é possível um Tribunal retirar 7 filhos a uma Mãe, que lhes dá amor e protecção apesar de terem poucos meios de subsistência, simplesmente porque se recusou a laquear as trompas e não actua num caso em que uma pseudo mãe se demitiu TOTALMENTE das suas responsabilidades?
Sorry, não entendo...

Turista disse...

Querida Mary, estou aqui de queixo caído!!
Nem sei o que pensar ou dizer!!

Mary disse...

Juro-vos: quanto mais penso nesta história, mais tenho vontade de VOMITAR!!!

medusa disse...

Isso de mãe tem muito pouco!

Su disse...

Há uma grande diferença entre MÃE e progenitora...mas os termos confundem-se grande parte das vezes...é pena, mas é verdade! Que história triste...