segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Da maternidade


No último Alta Definição, a jornalista Maria João Ruela confessou "Não tenho grande sensibilidade para a maternidade e não sou Mãe, portanto". E eu pensei imediatamente que, se todas as mulheres fossem assim (em vez de terem filhos para agradarem à família, agarrarem maridos ou comporem as molduras lá de casa), o mundo seria um local bem melhor. Ainda mais envelhecido, é certo, mas melhor.

13 comentários:

Vespinha disse...

De acordo! E quando gostava de se ser mãe e não se é?

Marta FG disse...

Concordo completamente Vespinha!

www.viajarso.blogspot.com

Mamã de Peep-Toe disse...

De acordo.Só fui mãe quando quis e porque quis.Tarde,portanto.Por essa razão.Não queria.Depois mudei de opinião,lentamente,gradualmente.Aceitei o facto,que não seria completamente feliz,se não passasse pela maternidade.Hoje,arrependo-me de não ter filhos mais cedo.Mas não tenho mais nenhum.Isso,é certo e sabido!

Mary disse...

É verdade, Vespinha: tantas mulheres que gostavam de ser Mães mas que por algum motivo não podem e outras a fazerem pouco de uma coisa tão séria...!

Mónica disse...

Qd me chatearem a cabeça mando família e amigos e conhecidos e colegas e ptt um sem número de pessoas sem nada a ver com isso, falar com maria j ruela. Eu nAo sou propriamente pessoa de dar onflanco e mesmo assim nAo há cu q aguente. As pessoas estão formatadas e nAo saem das suas caixinhas

moijeeu disse...

Concordo.
Tem de se pôr de lado a ideia de que se uma mulher não quer ter filhos (atenção eu disse não quer e não disse não pode)é uma aberração da natureza.
Tem todo o direito de não querer.
Gostei da atitude da M.ª João Ruela.

ana disse...

verdade! acho que ela foi muito corajosa de o admitir!

menina lamparina disse...

Concordo, Mary. Tão profundamente que me vieram lágrimas aos olhos. :*

RITITI disse...

Mary, eu que sou Mãe não podia concordar mais...

Cacau disse...

revi-me nas palavras dela! Amo crianças mas não me vejo ser mãe. E felizmente que tenho uma pessoa ao meu lado que me apoia. O resto da familia, estranha, mas quando vem a pergunto tento responder educadamente que a decisão é minha.

Guinhas disse...

Não podia concordar mais com ela.Se toda a gente fosse não havia tanta criança "ignoradas" pelos pais.

Este Blogue precisa de um nome disse...

Concordo...

Chicca Maria disse...

Mas há quem queira ser mãe e depois também ignore os filhos, é muito relativo.
Respeito a decisão de cada um de não quererem ser pais e se não querem, fazem bem em não ter mas não deixa de ser uma atitude egoísta.