quinta-feira, 31 de maio de 2012

Simbolismo vs. Materialismo


Como amanhã é o Dia Mundial da Criança, à hora do almoço fui ao supermercado comprar dois presentes para os meus filhos (ou melhor, duas gracinhas, um carrinho para Baby V. e um Jewel Pet para Baby C.). Eis senão quando olho à minha volta e constato que a esmagadora maioria das pessoas que lá andavam não estava a comprar presentinhos mas... presentões. Ele era cabeleireiros do Nenuco, pistas de carros, trotinetas... tudo à grande. E às tantas dei por mim a pensar: mas este não é suposto ser um dia simbólico? Não é mais importante fazerem um programa giro com as crianças? E depois ainda se queixam da crise. E dos pequenos ditadores que têm em casa. Medo.

7 comentários:

Create disse...

muitas vezes os pais queixam-se que os filhos isto... ou aquilo..., mas a realidade é que os filhos são o que os pais fazem deles! Neste dia seria muito mais importante dar uma atenção extra aos filhos em vez de presentões.

Imaginaaa...
***

Docinho disse...

Por aqui ha t-shirt c o t-rex e um lenço c a minnie e fatos de banho GAP q a tia trouxe... Coisas q precisam e tao simples! na minha loja, fiquei feliz, as pessoas compraram sobretudo roupa e pensaram c imenso carinho nas frases das t-shirts dos filhos... Isto é amor certo?

Anita Garcia disse...

Já não há diferença alguma entre Natal, Páscoa e Dia da Criança... Começa logo nos catálogos que se recebe no correio, de hipermercados ou lojas de brinquedos... Deve ser por isso que hoje as crianças dão pouco valor ao muito que têm...

Filipa disse...

Concordo plenamente contigo...:))

http://Styleloveandsushi.blogspot.com

Maria Pitufa disse...

Um gelado!! Aquilo que eu adorava era a minha mãe pegar em mim e levar-me a comer um gelado!!
Mas acho que se dissessem a um garoto isso, ele devia achar que estávamos todos era parvos!! Não percebo... eu acho que não sou assim tão antiguinha para notar tantas diferenças entre gerações!!

Anónimo disse...

Mas tu tb compraste.... Onde está o "teu" simbolismo....

Mary disse...

Comprei, é verdade. Mas pelo menos tentei controlar o materialismo (exacerbado)!