segunda-feira, 14 de maio de 2012

Mary Não Sabe Acampar (Yo)!


Sempre que os meus filhos embirram com um alimento que nunca comeram, mando vir com eles e afirmo que, enquanto não experimentarem, não gostam nem deixam de gostar. E o que é que isto tem a ver com o acampamento, perguntam vocês? E eu respondo: depois deste fim-de-semana já posso afirmar, do alto da minha (vastíssima) experiência, que ODEIO ACAMPAR.

Dêem-me todas as actividades outdoor do mundo que eu aguento: dêem-me caminhadas por montes e vales para fazer, mapas para desvendar, fogueiras para preparar, canoas para construir, o que quiserem. Eu cá faço tudo, desde que venha dormir a casa. Porque tomar banho em casas de banho públicas e dormir tipo faquir não é comigo, muito obrigada.

Por acaso a casa de banho até não era das piores (para começar existia - e depois, para além de ter água quente, não cheirava mal). Ainda assim, só lá ia em casos extremos. Desde que me conheço que tenho pânico de casas de banho públicas; logo, a necessidade absoluta e incortornável de fazer tudo e mais alguma coisa naquele sítio arrepiava-me para além do imaginável.

E a noite, foi assim tão má, perguntam vocês em uníssono? E eu respondo com a música que me acompanhou no decorrer de cada uma das oito horas em que não dormi (ler como se fosse a música do Pintinho Piu e imaginar como cenário uma cama de pregos):

Lá no campo havia um passarinho
Lá no campo havia um passarinho
E o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu.

Lá no campo havia música
Lá no campo havia música
E a música lá-lá-lá
E o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu.

Lá no campo havia crianças
Lá no campo havia crianças
E as crianças buááá
E a música lá-lá-lá
E o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu.

Lá no campo ressonava-se
Lá no campo ressonava-se
E o homem rooooonc
E as crianças buááá
E a música lá-lá-lá
E o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu.
Lá no campo havia bichos
Lá no campo havia bichos
E os bichos cricricri
E o homem rooooonc
E as crianças buááá
E a música lá-lá-lá
E o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu.

Lá no campo conversava-se
Lá no campo conversava-se
E as pessoas blá-blá-blá
E os bichos cricricri
E o homem rooooonc
E as crianças buááá
E a música lá-lá-lá
E o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu, e o passarinho piu.
Não é preciso continuar, pois não? Para o ano (não) há mais.


P.S.: Ainda assim, sou obrigada a admitir (em abono da verdade), que o sorriso estampado na cara dos meus filhos valeu o sacrifício.

5 comentários:

Lúcia disse...

Ahahah, muito bom!!!! Eu nunca acampei (ainda!!! porque os miúdos têm todos essa mania…) mas no dia em que tal acontecer, se acontecer, a reacção deve ser igual. Uma boa cama e uma boa casa de banho são TUDO!!!

Trincando a Lua disse...

Hahahah do best!!!deixa la que eu também gosto muito da minha caminha e o meu chuveiro,e não sou nada de acampar...então mas nós mães o que não fazemos por eles... sacrifícios sacrifícios...

RITITI disse...

ahahah tb ODEIO acampar...mas tenho pra mim que faria as delícias da minha filha...assim como assim contentamo-nos com pic-nics, que agrada a todos !

Cookie disse...

:-))))
Adorei a música... andas inspirada!!!
Eu cá já tive a minha fase campista, mas agora quem me tira um bom hotel, tira-me tudo... Mas quem sabe se um dia os filhos me levam também ao campismo...

Anónimo disse...

OH MY GOD ri-me tanto agora M!!!! você tem pilhas! adorei, e viva o campo!