terça-feira, 6 de março de 2012

The Iron Lady


A interpretação de Meryl Streep é, de facto, extraordinária. Mas achei horrível o facto de terem feito da doença de Margaret Tatcher (que sofre de Alzheimer há pelo menos uma década) o "palco" de The Iron Lady, reduzindo toda uma vida a meros flashbacks.

Há quem diga que este filme acabou por humanizar a Dama de Ferro. Quanto a mim, só a denegriu. E pouco ou nada informou o público sobre uma vida de 82 anos que se adivinha(va) extremamente rica, independentemente da opinião que se tenha acerca da protagonista.

Em suma, um filme muito pouco digno da interpretação de Meryl Streep. Uma pena.

9 comentários:

Lúcia disse...

Olá Mary, por acaso já tinha lido uma crítica idêntica! Era para o ter visto no sábado, não fosse o facto de ter achado que nesta altura da minha vida, em que o cansaço me domina, ter achado boa ideia ir à sessão da meia-noite! Acontece que enquanto fazia tempo apaguei no sofá… sem comentários!!!

RITITI disse...

Ainda não vi e confesso que pelas críticas não tenho vontade nenhuma...Aliás os filmes dos ÓSCARES este ano são muito pouco aliciantes. bjs

cadernobeje disse...

Eu gostei do filme. Acho que o grande problema foi terem publicitado quase como uma biografia-documentário da Dama-de-Ferro e, no fundo, não tem nada a ver. É o backstage da vida pessoal dela e da demência no pós carreira política. A Meryl está excelente - a interpretação enquanto velhinha é notável. Se é um elogio ou tentativa de humanizar a M.T. (que ela não precisa; foi quem foi e fez o que fez, tomou decisões difíceis, tinha um enorme poder mesmo nas relações com o poderio real, etc etc) acho que acabam por "humilhar" as capacidades da M.T. De qualquer modo, gostei bastante do filme.

*C*inderela disse...

quero ver o filme, já ouvi tantas criticas, boas e más, que fiquei curiosa.

Bjokas

Anónimo disse...

It's all about Meryl. A Margaret Thatcher é um mero adereço.

CONSUMÍNIMO disse...

Esta actriz é um máximo!
Somos fãs dela e realmente já estávamos à espera que ganhasse.
Mas em relação ao filme também concordamos contigo.

http://consuminimo.blogspot.com/

Mary disse...

Este filme ainda está na minha lista de filmes para ver.. Mas se o filme é mesmo assim já não sei se vejo.
Tenho um desafio para ti no meu blog :)
Beijinho

Cromossoma X disse...

Ola!

Com todo o respeito, discordo completamente deste comentario que so pode ter sido feito por alguem que nao tem nocao alguma das implicacoes que as decisoes do governo de M.T. teem, ainda HOJE, no Reino Unido!

E' um dos melhores retratos de sempre! E e' talvez a melhor homenagem que poderia ter tido, uma vez que e' desprezada pela populacao Britanica, que viu neste filme o seu lado 'humano' e as razoes por detras 'das medidas controversas'!! Tens nocao que e' em grande culpa por causa de M.T. que o sul de Londres e' considerada uma zona problematicas, por ex.? que o Este de londres nao se desenvolveu economicamente ate agora com a chegada dos jogos olimpicos? que exite tanta desigualdade populacional?

A M.T. foi, em poucas, o Salazar do Reino Unido. E por muitas coisas boas que Salazar tenha feito, nao o consideras um heroi. Nenhum regime estremista (de direita ou esquerda, tanto faz) deixa boas memorias...

Diana disse...

Acho que realmente não podes é reduzir o filme à demência da MT. Muito mais que isso. Fora que, parece-me, os dados politicos mais relevantes estão lá e dá para perceber a importância que ela teve.
Adorei.
É a história humana dela. E se não conseguiste perceber essa parte, então percebo que não tenhas gostado do filme.