segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Meo Deus


Serei a única pessoa a achar que os Gato Fedorento perderam a graça toda a partir do momento em que venderam a alma ao diabo (que é como quem diz à MEO)? Se têm dúvidas, tentem ver este filme até ao fim: é a música de Natal da MEO e é tão má de tão pseudo-engraçada que até dói. Não é à toa que  passa nas salas de cinema: porque só num contexto em que não podemos mudar de canal ou mesmo fugir é que é possível gramá-la na íntegra.

Uma pena, é o que é.

5 comentários:

Raquel Lourenço disse...

oh... eu gosto tantooooo!!! o que eu me rio sempre que vejo... =)

menina lamparina disse...

Pois eu só vi até ao fim porque a querida Mary sugeriu. É que já há muito tempo que quando aparecem os gatos na minha tv, o dedo sucumbe à síndrome do dedo irrequieto e deambula pelo telecomando. Lamento que isto não funcione comigo, porque eu gostava mesmo deles... mas já nem consigo ver os sketches antigos por já os saber de cor.
Mal posso esperar para o fim do contrato com a MEO.
Acho que ainda gosto deles só porque o Tiago Dores namora com uma prima minha.
By the way, gostei imenso do swing do Paulo Futre no final.

Muito forçado. Eles conseguiam fazer melhor que isto.

Mary disse...

Enfim, parece que, como em tudo na vida, as opiniões dividem-se :-)

Mónica disse...

Nunca gostei de gatos. Nunquinha. Jurooooooo!!!!!!

Nia disse...

completamente insuportável, e sim, só impingindo na sala de cinema...