sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Uma Mulher do Norte


A partir de uma certa altura na vida (mais ou menos aquela em que me encontro), assumimos naturalmente que os amigos que conhecemos até ao momento - e que sobreviveram aos amuos da infância, às discussões acaloradas da adolescência e à falta de tempo da idade adulta - serão os nossos amigos para toda a vida. E que muito dificilmente alguém se juntará a esses happy few.

Pelo menos era o que eu pensava, até conhecer uma mulher que só não é do norte por acaso (no sentido figurado da expressão) e que dá pelo pseudónimo de Floripes Antunes. Uma pessoa de quem gostei rápida e instintivamente, com quem partilhei, desde logo, muitas e longas conversas e que, quando dei por mim, já fazia parte dos meus happy few.

Uma pessoa que, de uma forma geral, considero ser muito parecida comigo, mas com uma grande diferença: é que ela é muito, mas muito melhor que eu. Porque é uma mulher com um "M" grande, enorme, gigantesco, coisa que eu nunca na vida serei.

O trabalho dela são as pessoas e só podia ser. Porque nunca conheci ninguém com um coração tão grande. Um coração onde cabe sempre mais alguém; onde, apesar da agenda sobrelotada, há sempre um minuto para ouvir quem precisa e uma palavra amiga para dar.

Um coração tão mas tão grande que até foi capaz de, de um dia para o outro, aceitar duas crianças como suas e amá-las como se lá morassem desde sempre.

Um coração que, de tão grande, é fácil de magoar. E que achei que precisava de saber isto tudo.

8 comentários:

Floripes Antunes - SEMPRE! disse...

Mary,
Só não lhe estou a telefonar neste preciso momento porque tenho um nó tão grande na garganta, que mais parece um elefante!
Conseguiu desbloquear uma coisa que estava a atormentar-me horrorosamente: não conseguir chorar. Pois é, abriram-se as comportas e mais pareço as Niagara falls.
Nem sei como agradecer, porque de facto estou em baixo!
AMIGA, estou cansada, MUITO cansada.
Tenho uma tarefa ingrata porque para todos faço parte dos "eles" que, invariavelmente estão do lado do inimigo. É duro estar sempre a lutar contra a maré, e ter de provar a toda a hora que estou lá para ajudar todos, sem excepção.
Serei assim tão má, tão mal formada para estar sempre a levar pancada de todos os lados?
É que até em casa as coisas não são fáceis, o que se está a passar com baby P. é demasiado, dói TANTO, mas TANTO, que é indescritível.
Mas no fim de tudo recebo um miminho, perdão, MIMÃO deste tamanho, que percebo que, nem que seja por uma só pessoa, vou continuar a minha luta. Doa a quem doer! Floripes ainda não está preparada para baixar os braços!
Mas sei que se não fosse Mary e o CTU, provavelmente já estaria a pregar em outra freguesia, de preferência só com homens, porque isto de tratar de mulheres é MUITO difícil.
Obrigada por tudo, por ser tão minha amiga e por não desistir de mim.
Obrigada por ser a minha locomotiva, empurrando-me para a frente, por pressentir quando preciso de ajuda e, acima de tudo, por estar SEMPRE LÁ!
Floripes

Mary disse...

Por aqui, também se abriram as comportas, mas das Cataratas do Iguaçu...

Obrigada eu: por ser como é, por ter aparecido na minha vida e por ser minha amiga.

docinho disse...

Emocionada é como saio daqui... por ver que ainda vale a pena... ter AMIGOS!

Beijos às duas... e desculpem a intromissão ; )

MM disse...

"Floripes",

Acho que já lhe disse isto uma vez mas vou repetir: você é um anjo na minha vida!
Não imagina como faz a diferença falar consigo e sentir que aí está para nos apoiar para nos dar a mão. Ao contrário do que pensa, para nós nunca fará parte do grupo do "eles" porque tem características que a impedem de ser membro: Uma generosidade imensa, um coração do tamanho do mundo e um abraço que acalma qualquer aflição!
Por isso,e por tudo aquilo que ainda não disse, não desista, lute por "nós", aqueles que nunca podererão lutar sem si!
Um grande beijo de uma mulher que que está no Norte mas que está muito perto no coração!

Mary disse...

MM, obrigada pelo teu apoio :-) Tenho a certeza de que, aos poucos, Floripes vai chegar à conclusão de que somos MUITAS a gostar dela!

PM disse...

No seu tempo, Alfred de Musset disse: "O homem é um aprendiz, a dor é o seu mestre."

Eu prefiro: se dói é bom sinal, é porque estamos vivos.

Além disso a história fala apenas daqueles que "remaram contra a maré" ou que foram persistentes na sua missão/luta.

Isto tudo para lhe lembrar que é uma MULHER DO NORTE, CARAGO!

E UMA MULHER DO NORTE NÃO, (ALIÁS, NUNCA), SE VAI ABAIXO NAS CANETAS!

Força! Estamos cá para a apoiar!

Floripes Antunes disse...

Minha querida MM:
Vocês são incríveis! São a razão para ainda não ter baixado os braços!
Uma mulher do Norte muito raramente baixa os braços, mas confesso que desta vez, se não fossem vocês, já o teria feito.
Tem sido muito difícil, estou muito cansada e magoada, mas não vos abandono. Não sou capaz de virar as costas a pessoas TÃO bonitas, com um coração de ouro.
A MM sabe que sempre teve e terá um lugar muito especial neste coraçãozinho de Freamunde, pois é a serenidade, a bondade, a compaixão personificada numa mulher linda, que merece tudo de bom!
Sortudos aqueles que privam consigo, pois traz às nossas vidas uma aura de bondade e serenidade.
Obrigada por fazer parte da minha vida, pois esta ficou muito mais bonita desde que a conheço.
Floripes

Floripes Antunes disse...

Até PM, balha-me Deus!
Ai de mim se desisto!

OBRIGADA, carago!!!!!!!!!!!